Vote aqui! :)

sábado, 20 de setembro de 2008

A máquina do tempo


Recebi um comentário anônimo no meu blog esta semana que me questionava sobre minha vontade de deletar alguém. Fazer alguém sumir da minha vida, assim, como se fosse mágica, incrível não?!
Comecei, então, a pensar nas pessoas que fazem parte da minha história e de que forma elas conquistaram esse direito. Percebi que muitas o adquiriram pelo simples fato de ser minha família, outras porque senti uma afinidade tão grande que escolhi para estarem ao meu lado e tem aquelas que apareceram sem avisar e causaram grandes surpresas e alguns transtornos.
Claro que ninguém entra na vida de ninguém por acaso, é aquela velha história, o que um não quer, dois não faz, pois bem, poderia ter evitado a presença de algumas pessoas em minha vida, mas não o fiz, talvez pensando na máxima: melhor arrepender-se de ter feito do que não fazê-lo, ou ainda, por simples curiosidade. O fato é que acredito muito na força do acaso e no dito destino que, ultimamente, vive me atrapalhando.
Para responder o questionamento me lembrei de outra pergunta que me fizeram há pouco mais de um mês: Você já se arrependeu de algo?
E pensando novamente nessa pergunta comecei a recordar épocas da minha vida e identificar meus arrependimentos. O engraçado é que não consegui sentir dor grande o suficiente que me fizesse querer apagar algo que eu tenha feito na minha infância ou adolescência, percebi, então, que os erros realmente são parte da vida adulta, talvez por que os adultos pensam demais e deixam de fazer coisas que gostariam , talvez por que pensam de menos e falam o que não deve, ou ainda por que tem o dom de ofender e magoar as pessoas pelo simples prazer de acharem-se os donos da razão.
Minha vida adulta me trouxe agradáveis surpresas e dores indecifráveis. Por vezes nunca me senti tão feliz e certa do que fazia, e no minuto seguinte descobria que as pessoas nem sempre são confiáveis e que a solidão existe e dói.
Poderia citar uma lista infinita de coisas das quais me arrependi, muitas por não terem sido realizadas, como comprar rosas vermelhas e me declarar quando meu coração pedia isso, ou ainda por não ter viajado para o outro lado do mundo em busca de mais uma chance para o que eu acreditava ser o grande amor da minha vida. Contudo, acredito que o arrependimento de algo não feito, pode gerar, um dia quem sabe, uma coragem e um impulso que nos leve, mesmo que tarde, a fazer o que um dia gostaríamos. Claro que o resultado provavelmente não será o mesmo, mas qualquer resposta será válida, pois, será a única que irá conhecer.
Creio, contudo, que mais triste que arrepender-se de algo que não fez é se arrepender de algo feito. O que está feito, está feito e não tem mais volta. E depois de feito sempre restam as marcas, feridas enormes ou lembranças maravilhosas, não importa, sempre haverá um lembrar. O ruim dessa história é que quando você se arrepende de algo que fez, não pode simplesmente passar uma borracha ou selecionar o texto e dar delete. Você precisa conviver com o erro, com a saudade, com a dor e a decepção, e nessas horas nem mesmo o tempo parece estar do seu lado, pois a dor demora a passar, e algumas vezes, nunca passa.
Voltando a pergunta do anônimo diria que, hoje, gostaria sim de apagar algumas pessoas da minha vida. Foram pessoas que se pudesse escolher não teria conhecido, se pudesse voltar no tempo não teria as colocado no meu caminho. E identificar estas pessoas não foi difícil, bastou pensar no bem que haviam me feito e logo em seguida no mal, o desequilíbrio dessas emoções foi descarado e assim ficou fácil definir quem nunca mereceu ter feito parte da minha história. Estas pessoas me entrelaçaram em suas artimanhas e me deixaram cicatrizes terríveis, foram marcas da decepção, de falsas promessas, da ilusão, da expectativa alimentada diariamente, da hipocrisia escondida atrás de tantas máscaras.
E sabe o que dói mais? Algumas destas pessoas entraram na minha vida de forma tão rápida que não conseguiram sequer deixar uma boa lembrança. Para situações assim deveria sim existir uma máquina do tempo ou uma tecla delete.
Imagine como seria bom voltar no tempo? Recomeçar sem as marcas do passado, sem o medo da rejeição, sem a desilusão que já nos fez desacreditar de tanta coisa?
O único risco seria voltar no tempo e ao reescrever a história cometer os mesmos erros, isso seria mesmo uma tragédia.
- Você gostaria de voltar no tempo?
- Claro! Faria muita coisa diferente.
- Mas como saberia se não estava errando novamente?
- Era só trazer comigo as lembranças, oras.
- Mas se você tem as lembranças você não esqueceu, assim não faz sentido voltar no tempo.
- Então vou sem as lembranças mesmo.
- E corre o risco de cometer os mesmos erros?
- Você está me deixando confusa.
- Pois é, acho que é por isso que até hoje não se inventou uma máquina do tempo.
Assim, prefiro continuar confiando na máquina do tempo que existe dentro de nós. O que nos resta é continuar escrevendo nossa história com rasuras e corretivos, e contar com o tempo para que nos ajude a rasgar algumas folhas para que enfim, possamos esquecer e recomeçar. Enquanto isso procuro pensar mais antes de agir, pois, já que é possível escolher, prefiro me arrepender de não ter feito. A ilusão do talvez é mais pura do que a dor da decepção e é um mal que não é provocado por outra pessoa, é como perder para mim mesma e isso me faz crescer, isso não é de todo mau. Quanto a você eu não sei, mas acho que deveria pensar sobre isso também, e então? Gostaria de ter uma máquina do tempo?

8 comentários:

ana flávia disse...

dispenso minha máquina do tempo, amiga... se eu fosse tentar consertar algo do passado certamente poderia estragar ainda mais... uahuahauhauh...
caso eu ache alguma por ae, quer pra vc? rs
bjinhu!!!

Flávio Guto disse...

Aaah, amiga, como sempre eu adoro seus textos, só que mais uma vez tenho que discordar de vc!
Para mim, não existe arrependimento maior do que ter deixado passar uma grande oportunidade e não ter vivido aquilo. Por pior que tenha sido o resultado, o que mais importa nem é o que vc viveu, mas o que vc aprendeu com aquilo. Isto sim, ninguém te tira. A vida é um grande aprendizado. É uma pena que não tenhamos a referida máquina do tempo para aprender, rejuvenescer e aí fazer as coisas direito sem tropeçar em besteiras. Mas a vida não é perfeita a esse ponto e, se fosse, não teria a menor graça.
Beijão!!

Anônimo disse...

Olha eu de novo!!

com certeza gostaria de ter uma ...para poder mudar as coisas que me atrapalham...mas me admira uma mulher como vc guardar esse tipo de sentimento, Deus nos da chances pra sermos felizes... e temos que aproveitar ... grudar naquilo que mais nos faz bem..naum seria burrice da nossa parte fazer nossa vida um inferno??
queria saber se vc perdoaria o seu pior inimigo??

Anônimo disse...

De novo!!!
desculpa eu ser meio esparso em meu pensamento é que eu achu que tudo influencia!!!
e já disse que gosto do que escreve mas achu que as vezes vc enrola muito ... tem uma frase que é certa nos mesmos fazemos nosso proprio inferno pra mim é vdd e pra vc??
eu naum enrolo gostaria de saber se uma descordia vale mais do que uma amizade ??
queria ter falado com vc hj ! será que podemos??

Taline Libanio disse...

Bem, vamos às respostas e comentários..rs. Querida Ana, dispenso a máquina do tempo também, acho que uma chance na vida já é o suficiente para nossas escolhas e renúncias, melhor recomeçar de onde estamos, afinal o tempo urge!rsrs bjinhos!

Taline Libanio disse...

Flávio, meu amigo querido!! Sempre discordando de meus textos e me fazendo refletir..rsrs. Adoro!rsrs. Pois é, estava relendo algumas crônicas esta semana e me deparei com a : Quanto tempo dura um "para sempre" e um "nunca mais"?, postada há pouco mais de dois meses, nela afirmo com toda segurança que é melhor nos arrepender de ter feito a não fazer. E hoje a insegurança e o medo da decepção me fazem recuar, quem sabe em breve não retomo minha coragem e começo a viver mais intensamente, com mais plenitude novamente não é? Concordo que a vida é um grande aprendizado, o duro é sarar dos ralados e fechar algumas cicatrizes com sorriso no rosto e cabeça erguida..rs. Mas a gente consegue!rs. Obrigada pelo carinho! bjus

Taline Libanio disse...

Ao anônimo cada dia mais presente...rs.Bem, vamos por partes... Eu sou uma mulher como todas as outras, com sentimentos bons e ruins, qualidades, defeitos, sonhos e decepções, sou humana e tenho o direito de me sentir ofendida, magoada e demonstrar ou guardar esses sentimentos quando não consigo colocá-los para fora, não devia admirar-se com isso, com o tempo percebemos que conhecemos bem menos as pessoas do que gostaríamos.
Concordo quando diz que Deus nos dá chances para sermos felizes e que devemos aproveitá-las, me prendo a isso diariamente, o problema é que nossa felicidade nem sempre reflete a felicidade de outrem, meu modo de agir, para buscar minha felicidade não necessariamente te deixe feliz, mas é a minha escolha.
Com certeza fazer de nossa vida um inferno é uma burrice, felizmente minha vida não anda um inferno, e a sua? Repita em voz alta seu conselho, talvez sirva para os ouvidos que estão mais próximos: os seus. Aproveite suas chances de ser feliz, agarre-se no que possui de melhor, antes que seja tarde demais.
Errar é humano e perdoar é divino, longe estou de ser divina, mas sou capaz de desculpar muita coisa sim e perdoar erros imperdoáveis, eu que o diga, contudo, tudo a seu tempo, dizer que algumas mágoas simplesmente foram deletadas da noite para o dia seria pura hipocrisia.

Quanto ao outro comentário...Não precisa desculpar-se pelo pensamento, adoro receber comentários no Blog sejam eles críticos ou não. No mundo da escrita temos o direito de divagar mais, enrolar o quanto acharmos necessário até que encontremos respostas que procuramos para fechar uma crônica e quem sabe solucionar um problema de nossas vidas, é por isso que as vezes vou e venho nos meus pensamentos, mas acho que você pode um dia vir a acostumar-se, ou não...
Concordo com a frase, nós mesmos fazemos nosso próprio inferno e diria q é o mesmo q dizer q nós mesmos fazemos nossas escolhas e assumimos nossas renúncias, concorda?
Para uma pergunta direta, uma breve resposta: nada tem mais valor do que uma amizade. Contudo, reitero que para tanto é preciso que seja uma amizade pura, e verdadeira, caso contrário dará brecha a outras discórdias e não terá jamais o sentido nobre que a palavra amizade presume.
Obrigada pelos comentários. Sempre estarei aberta ao diálogo, é o maior bem que possuímos. Abraços.

Laryssa Soraya disse...

Olá florzinha ... é realmente não tenho certeza se deveria ou não existir uma máquina do tempo, spo sei que jamais apagaria a lembrança de uma pessoa como você ..
Se cuida flor ...