Vote aqui! :)

domingo, 15 de julho de 2012

Vai! Surpreenda-me!


“A cada manhã, exijo ao menos a expectativa de uma surpresa, quer ela aconteça ou não. Expectativa, por si só, já é um entusiasmo. Quero que o fato de ter uma vida prática e sensata não me roube o direito ao desatino”. Martha Medeiros.

Acordei com uma vontade sem tamanho de ser surpreendia. Abri os olhos e me espreguicei longamente, tentando relembrar um sonho que ainda deixava vestígios ao despertar. Olhei o celular no criado mudo, na ânsia de encontrar uma ligação perdida ou uma mensagem inesperada, mas o máximo que consegui foi escutar o despertador gritando pela segunda vez.
Levantei-me sem pressa e enquanto o chuveiro esquentava pensava no que este dia me reservaria. Ficava pensando em coisas do tipo: E agora? O que terei pela frente? Qual será a novidade?
Sentia-me como se estivesse em uma tela de videogame, ansiosa pela nova fase, a espera de novos obstáculos, novos prêmios e personagens. Só me esquecia de que a vida real não nos concede vida extra, nem password ou superpoderes, o que torna as coisas um tiquinho mais complicadas, quiçá sem graça muitas vezes.
Mas ainda assim vivo querendo passar de fase. E tem horas que resmungo, reclamo que tudo anda tão difícil e logo respiro e penso: é porque você está em um nível acima, logo você se acostuma. E é assim que vou vivendo dia após dia sempre esperando uma nova fase, uma boa surpresa.
E quando nada acontece fico inquieta. Passo a procurar uma surpresa nas mãos do porteiro ao sair, na ligação transferida no trabalho, no fiscal do ônibus que me pede pra dar um passo para lá, no senhor que me interrompe para perguntar a hora, na criança que me pergunta se eu tenho um cachorro.
Mas tem dias que nada acontece, nem mesmo contas recebo de correspondência, o telefone não toca nem pelo serviço de telemarketing da minha operadora e nenhuma pessoa nova cruza meu caminho. É então que fico com aquela vontade maluca de ser surpreendida... Ah! Mas tem dias que eu desejo tanto, tanto uma surpresa!
Queria receber uma carta inesperada (nos dias de hoje até um e-mail seria válido), uma ligação de alguém que não converso há tempos, a visita de alguém que tenha decidido fazer parte do meu espaço, um convite sem recusa, um presente com um cartão, ou só um cartão, uma rosa jogada no portão, uma declaração em um outdoor ou num bilhete escondido no meio de um livro ou jogado embaixo da porta... Enfim... É tão fácil me surpreender!
Ultimamente tenho até sido surpreendida, mas pelas minhas decepções e dessas confesso que já estou farta. Quero surpresas boas que me tirem o ar e me façam sentir o estômago doer e o coração acelerar por segundos. Quero novo enredo e personagens na minha história, quero passar de fase, mesmo que o próximo nível seja mais difícil e perigoso. Desta fase já vivi tudo o que era possível, não há mais segredos, nem histórias para contar.
Eu quero o novo e quero já! Vai! Surpreenda-me!...Foi assim que caminhei até em casa, desafiando o destino a cada passo: Surpreenda-me! Agora, já!
E qual não foi a minha surpresa ao chegar em casa e receber de uma vez logo dois presentes: Surpresa um: puf! Surpresa dois: puf! Duas lâmpadas queimadas em menos de um minuto.
Com certeza isso me surpreendeu e me fez perceber que não basta querer jogar uma nova fase, é preciso estar preparada para todas as circunstâncias, inclusive é preciso aprender a aceitar a mudança de nível, por mais que a desejemos, pois um desejo mal realizado pode se transformar em um grande pesadelo.
No meu caso o destino foi sutil, dois dias na escuridão até conseguir uma escada emprestada, e comprar duas lâmpadas novas... Mas tudo bem, eu ainda não desisti e continuo o desafiando: Vai destino! Surpreenda-me!
E, por favor, desta vez com algo que me faça sorrir, acelere meu coração, colora meus dias e deixe meus olhos brilhando por muito mais tempo que estas lâmpadas econômicas que acabei de trocar...

Foto de: Murilo Mendes.

4 comentários:

Taline Libanio disse...

Texto publicado no Jornal Democrata de São José do Rio Pardo/SP, no dia 14/07/12.
Foto de: Murilo Mendes.

Aguardo comentários!^^

Isabel disse...

Você tem pressa do quê? acalma esse teu coraçãozinho aí mulher...talvez sua melhor surpresa demore para chegar. Quantas fases depois dessa? haverá de passar até chegar uma boa surpresa? rsrsrs....relax nessa hora... aproveite seus bons e verdadeiros amigos enquanto isso...

Anônimo disse...

amiga, adorei o texto! só hj tive a oportunidade de ler!Por vezes me senti assim também..houve um tempo q eu ficava morrendo de vontade de ser surpreendida, mas foi em razão de uma música q curtia pra caramba, tipo R&B sabe...hehe, q coisa a música me provocou essa vontade, e eu fiquei pilhada na época, cheia de ansiedade rs foi bom, não lembro de ter sido surpreendida por ninguém na ocasião, mas a música ficou na minha vida..ahuuah ao ler a letra, dá pra sacar, mas a ideia q eu tinha, era de ser convidada pra essa longa caminhada (long walk) q ela menciona, e q tbm é o título da música. A música é um sonzáaço!XD
http://letras.mus.br/jill-scott/35469/traducao.html

adorei o texto!!²

Tamara

Lucas de Oliveira disse...

Lindo o texto pra variar...Espero que as surpresas vindouras sejam agradáveis e que lhe tornem cada vez mais talentosa e sincera de coração.
Uma coisa eu tenho certeza, não fosse tais acasos não haveria textos, nem identificação, nem leitores que passam de vez em quando porque estão curtindo as férias nas aulas, enfim...
Lhe desejo um ótimo final de semana e com mais uma certeza, "Que hoje será melhor do que ontem".

Beijão do seu amigo e admirador.





Lucas de Oliveira