Vote aqui! :)

domingo, 9 de janeiro de 2011

Cada acorde em seu lugar...


Nunca imaginei dizer isso logo no início do ano, mas por ironia do destino ou simples conspiração do universo, as promessas de um Ano Bom que eu imaginava nunca iriam se realizar, já começaram a se cristalizar antes mesmo da virada do ano.
Fazia tempo que não me sentia tão viva, tão em paz, tão amada e tão capaz de amar. Um vento leve soprou no meu ouvido que para ser feliz eu só precisava querer e foi querendo que abri espaço em muitos caminhos e me encontrei onde menos esperava.
Ainda estou me acostumando a esta sensação de felicidade plena. Uma alegria tão intensa que é capaz de transpor barreiras e me fazer rir depois de horas de lágrimas ao me ver com o dedão do pé todo enfaixado em plena virada do ano.
Uma vontade tão forte de estar comigo, seja aqui ou acolá, que me faz gargalhar com as histórias mais simples e me mostra que levar uma criança para brincar no parquinho da praça pode me trazer um prazer indescritível.
Estou feliz sem cobranças, sem a imposição de que é preciso ser feliz. Minha felicidade extrapola o limite do querer. Uma harmonia tão interessante que me fez arrepiar por inteiro ao final da oração de ano novo, naquele círculo de mãos dadas com pessoas tão queridas.
Um sorriso que não cabe mais na boca, capaz de eliminar todos os medos e angústias. Capaz de curar todas as feridas e dizer ao tempo: Desta vez superei seu poder de curar feridas... Um sorriso que surgiu contagiante ao ver os fogos de artifício pintarem o céu negro, enquanto o Cristo redentor de braços abertos também parecia gritar “viva” ao ano que se iniciava.
Fui invadida por uma onda de amor que não me dá medo. Um amor que vagou perdido durante anos e hoje se apresenta maduro, forte e prático. Já não penso mais no futuro, no que pode vir a ser, apenas vivo o hoje, o presente, tão colorido quanto papéis de embrulho dos presentes de Natal.
Fiz as pazes com o espelho, com meu corpo e todos seus quilos a mais, com meu espírito e todas suas angústias, com meu coração e toda sua insegurança. Não quero ser outra pessoa, preciso apenas continuar me encontrando, ser eu mesma e neste caso a cada reencontro poder dizer: você me surpreendeu, você está bem, muito bem mesmo...
A canção já não desafina, os acordes se encontram em música e já não me canso de ouvir repetidas vezes aquela letra que me fez acordar para a vida, para a minha vida. Que se dane a moda e o vício pela estética, a revolução da beleza neste caso é interna, é duradoura e não vai cair nem enrugar com o passar dos anos.
Não devo isso a uma pessoa apenas, mas a todas aquelas que me fortaleceram nos últimos tempos. Que me mostraram que sou livre e independente, sensível e engraçada, inteligente e bonita, deste jeitinho aqui, sem tirar nem pôr. Devo isso ao amor que me energizou as férias inteirinhas. Quantos amigos conquistei nesta caminhada, que família doce Deus me deu... E esse novo amor que me invade e me faz perder o chão, que coisa mais estranha e maravilhosa!
Amor que para alguns pode ser contínuo, para outros passageiro e que para mim tem sido sublime. O meu amor, o amor-próprio que descobri tenho e nunca mais vou deixar escondido dentro de uma crítica qualquer ou de um olhar mal humorado.
Dias repletos de amor é o que desejo a todos nós! Daquele amor puro, forte e contagiante que pode vir dos outros, mas também pode brotar bem ai, dentro do seu peito...
Ilustração de: Gabriel Vicente.

4 comentários:

Taline Libanio disse...

Em homenagem a um anjo sem asas...

Fernanda disse...

Taline, descobri sozinha o caminho...que não é o das índias, mas vc sabe qual é...rs...Confesso que invejei "esse amor", que a correria do dia a dia não nos permite sentir, não nos dá o direito...o "tenho quê" com sua foice em nossa cabeça, ou melhor, em nosso pescoço, as pessoas que nos cobram mas que não oferecem, cobram, mas não pagam...acho que vou dar um "pé" em tudo e todos e só dar atenção pra mim...gostei!rs...que perigo...acho que precisamos tomar todo dia a pílula da memória, pra nos lembrar que não somos insubistituíveis... que como dizem, "a fila anda", pra darmos valor ao que realmente não é insubistituível: nós, cada espírito que habita em nós, e que é eterno... Bj. Fer

Isabel disse...

você é linda, inteligente e com uma capacidade impar de superação, isso é dom de Deus, aproveite-o bem e seja feliz... sempre!!! bjs.

Luis F. disse...

É isso ai Taline, temos que viver um dia após o outro da melhor forma possível, que assim aos poucos vamos colhendo felicidade e amor.
E você sabe, "estamos" sempre aqui, por perto, para o que precisar.
Bjos!